Somos adeptos do Alentejo.

Da extraordinária gastronomia. Deve ser o único sítio da terra onde poderíamos sobreviver felizes com pão e sopas.

Da paisagem.

Das pessoas.

Da história, que encontramos na arquitectura dos edifícios.